03 março 2006

Luís Monteiro da Cunha

Da Criação…




Estupidez absoluta
A argúcia não é o seu forte
Dizem-se Criadores
Quais Deuses, que do pó constroem palácios
Das maresias, tempestades tumultuosas
De sonhos, fazem vocábulos
Por suas certezas, criam definições, indefinidas
Porque sempre existe a retórica
E esta é metódica

Como se podem arvorar a tanto
Se nada Criam de novo
Senão a aglutinação de contextos

Simples cozinheiros aprendizes
Com esperança de pasteleiros
Com as mãos, distorcem, amassam
(Sem que moam os grãos até à infinitésima parte do finito)
Não discorrem o sumo e a seiva
Cada dor, abstracção, pensamento, ou simples lamento
De amor alegre e benfazejo, a permuta num beijo
Gizar pleno e constante, permutável e persistente
De cada desejo que fortemente bate no peito

Que dizes

Quem Cria o quê afinal
Se tudo o que estudas e se conhece
Está já inventado desde que o mundo é mundo

Que pena
Mas, não sei criar
Nem sou cozinheiro ou pasteleiro
Talvez
Mal cozinhado
A queimar
Que cheiro


© Luís Monteiro da Cunha

9 Comentários:

Às 3/3/06 01:14 , Blogger Alessandro_PPG disse...

Olá! Visite o meu novo blogger: http://ilustrada-ppg.blogspot.com/ e meu site: http://www.ilustrada.ppg.br/ Me ajude a divulgar! Desde já agradeço! E gostaria de fazer novas amizades! Abraços !

Se puder click nos banners! Grato!

 
Às 3/3/06 09:52 , Anonymous Anónimo disse...

BUFAGATO, Bonita a tua revolução da farinha ou do padeiro e/ou cozinheiro, é que tudo foi inventado apenas há que dar continuidade. Um abraço.

 
Às 3/3/06 11:16 , Blogger Amaral disse...

Criação que tantas palavras deixa brotar, umas afirmando, outras duvidando… Que pena não sabermos que sabemos criar!... Tudo está já inventado, a um outro nível de consciência, até um simples pensamento já não é o primeiro pensamento.
O teu post é incisivo, é um grito ecoando vale abaixo, sem um bilhete de volta…

 
Às 3/3/06 12:01 , Blogger um estranho disse...

Podes não ser um cozinheiro mas és um ingrediente para a criação do todo. Viva a revolução e a transformação das "coisas".
Beijooooo

 
Às 3/3/06 14:33 , Anonymous Anónimo disse...

... poesia bonita, Luís... quanta introspecção, sobre a criação!!!... Gostei de ler... insiste!!!... Abraço amigo, do Sherpas!!!...

 
Às 3/3/06 14:40 , Blogger Andreia Ramos disse...

ja tudo estava inventado mas ha mais para descobrir ou mesmo melhorar!nao desanimes!beijinho!

 
Às 3/3/06 18:21 , Blogger Fofinha disse...

passei apenas para te desejar umbom fim de semana... beijinhos

 
Às 3/3/06 20:32 , Anonymous Anónimo disse...

Gostei muito desta tua Criação com raiva, e com cheiro a esturricado. Gostei muito da nuvem de palavras que criaste neta tua criação! Beijo

 
Às 4/3/06 16:48 , Blogger lena disse...

um grito!

já não há definição para a criação

já tudo foi criado

há a continuação...


beijinhos meus

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial