09 outubro 2005

Luís Monteiro da Cunha

Portugal a VOTOS... de esperança


A nossa querida Pat, vai melhor dos ossos. Ainda bem.
Resolveu fazer uma viagem e visitar o filho que trabalha em Portugal.
Mas uma viagem tão grande e sozinha? Achou bem convidar duas amigas mais chegadas para a acompanhar na jornada.
Se melhor o pensou, imediatamente o fez.
- Vou visitar o meu filho, trabalha nos Portugal e gostava que me acompanhassem…
- Isso é alguma multinacional? Inquiriram.
- Não… queridas! É um país. Retorquiu.
- Mas querida, achas bem viajarmos agora, com a gripe das aves e tudo para um país sul-americano, onde os cuidados médicos são nulos? Indagaram as convidadas.
- Não é nenhum país sul-americano, - interrompeu - é europeu e faz parte da CEE e tudo. O meu filho trabalha lá vai fazer dois anos e já morro de saudades. Ainda ontem recebi um mail dele a contar maravilhas daquela gente. Diz que também têm cangurus que até saltam de continentes e tudo. Pode-se fazer o que se quiser, ninguém é responsabilizado, parece que têm umas leis mais liberais e avançadas que as nossas e as pessoas são simpáticas e tudo. Não percebi bem, mas fiquei curiosa. Querem ler o que escreveu no mail?

“Querida mãe, este país é fenomenal. Se não acredita, leia o texto que anda aí a circular a poucos dias de eleições autárquicas:

«Existe um país onde um cidadão de 81 anos depois de ter cumprido 10 anos de mandato como Presidente da República e de ter estado 10 anos de molho decide candidatar-se novamente para salvar o país de um fantasma, passando por cima de um amigo de longa data.

Existe um país onde três candidatos autárquicos com fortes probabilidades de vencer estão indiciados por processos fraudulentos e uma outra candidata a candidata com mandato de prisão emitido e foragida no Brasil, tem toda a cidade a aguardá-la tal qual D.Sebastião.
Existe um país onde o único escritor galardoado com o prémio nobel da Literatura vive no país vizinho.

Existe um país de onde é oriundo aquele que é considerado o melhor treinador de futebol da actualidade, cujo seleccionador nacional é estrangeiro.
Existe um país onde o maior sucesso nacional do ano é um disco de originais de um músico que morreu há quinze anos.
Existe um país onde os dois guarda-redes da selecção nacional são suplentes de dois guarda-redes da mesma nacionalidade nos respectivos clubes.
Existe um país onde o nome da mascote do principal evento desportivo alguma vez organizado começa por uma letra (k) que não faz parte do seu alfabeto.
Esse país estranho é: PORTUGAL!»

Só visto. Aguardo a sua visita para constatar com os seus olhos. Beijinho deste filho algures num país da Europa, que se denomina de desenvolvido.”


Desenvolvido por: Bufagato
A partir de mail recebido.


lmc

6 Comentários:

Às 9/10/05 22:25 , Anonymous Anónimo disse...

Grandes verdades que esse filho disse à sua mãe, realmente é um país de loucos. Beijos!

 
Às 9/10/05 23:23 , Blogger S disse...

É, e conhecidos agora os resultados... tenho mesmo de reconhecer que tenho vergonha.
Não sei se do País, se do Sistema, se da Política.
Mas tenho VERGONHA de ver Isaltinos, Valentins e Felgueiras fazerem o que fizeram e ganharem assim umas eleições. Vergonha das pessoas que neles votaram, independentemente de terem feito coisas boas nos respectivos concelhos. Também lhes fizeram muito mal.
Vergonha da Lei que deixa que isto aconteça.
Não sei o que pensar ou dizer, mas sinto-me muito mal com tudo isto, e pior ainda, com medo do que o futuro nos reservará, se o presente já está nesta lástima...

 
Às 10/10/05 00:41 , Blogger margusta disse...

Vim deixar-te um beijinho....estive na Fotopage.
Amanhã volto para te ler.

 
Às 10/10/05 01:45 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Uma boa Segunda-feira pra todos e com ânimo redobrado, apesar do que sucede(u), o país precisa de nós, da nossa labuta e das nossas convicções, sejam elas quais forem.

Semana plena de satisfação, é o meu desejo.
bjinhos

 
Às 10/10/05 02:22 , Anonymous Anónimo disse...

Tambem eu estou siderada com tal populismo e com tal povo; é impossível o país caminhar para a frente com mentalidades destas; O país (a sua maioria) perdeu a lucidez; Já agora, a carta tambem podia dizer: "existe um país onde toda a gente usa relógio mas como adorno, porque aqui toda a gente chega atrasada";

 
Às 10/10/05 03:47 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

mocho...
"existe um país onde toda a gente usa relógio mas como adorno, porque aqui toda a gente chega atrasada";

Gostei dessa tirada! Hehehe

É verdade, somos tão comodistas.
Temos sempre uma boa desculpa pra tudo... até para chegar atrasado.
É por essas e outras... que continuamos atrasados na Europa e no mundo.
Somos vistos como um povo letárgico.
Quem pode negociar e confiar que conseguimos cumprir os compromissos assumidos a tempo e horas?
Enquanto não se mudarem as mentalidades... continuaremos na cauda e como tal, sempre desprezados. Já nos bastava estarmos na cauda do mapa.

Bjinho

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial