19 maio 2006

Luís Monteiro da Cunha

De metro – III



De metro – III

Ousam expulsar dos corações
A alegria dos rostos,
Herméticos, mecanizados.
Prenunciam
A batalha que reiniciam
Eterna corrida solitária
Neste desfile infernal
Para o destino amargo,
Desprovido de desejo
De cada dia
mais longo e abismal
Sem abraços,
um simples beijo
Ou
recordação da ternura
Do enlevo no olhar
Na candura maternal

© Luís Monteiro da Cunha

12 Comentários:

Às 19/5/06 02:20 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Devido a compromissos assumidos,
passarei os próximos dias e noites ocupado em apresentações e saraus, pelo que pelo menos esta semana, não conseguirei fazer mais postagens...

A apesentação destes versos referentes ao Metro do Porto, fica assim adiada, mas prometo continuar logo que possível.

Desejo-vos antecipadamente, um bom fim de semana, pleno de felicidade e amor.

"Sejam felizes e façam alguém feliz"


Bjinhos e abraços
Luís

 
Às 19/5/06 14:30 , Blogger Amaral disse...

Formas de pensar, de expandir emoções, de sentir o pulsar do interior.
Um fim de semana com muita paz, ternura no olhar e amor no pensamento e nas acções.

 
Às 19/5/06 14:39 , Blogger ponto azul disse...

Gostei...bom fim de semana!Bjs :-)

 
Às 19/5/06 15:29 , Blogger Pérola disse...

É isso, um dia-a-dia desprovido de emoções, repleto de rotina e solidão, povoado de invólucros andantes, animados de coisa nenhuma.

 
Às 19/5/06 15:41 , Blogger soslayo disse...

Bufagato:

Corações que não existem
apenas e só subsistem
às jornadas infinitas
deste mundo cadaveroso.

Frio como o metal
esgar dos impiedosos
que ao sê-lo levam consigo
a sede de se viver em Portugal!

Um abraço e um bom fim de semana e bons projectos e êxitos para os mesmos.

 
Às 19/5/06 19:20 , Blogger Papoila disse...

Gostei desta série de poemas dedicados a Metro do Porto.
Bom fim de semana.
Beijo

 
Às 20/5/06 11:46 , Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Luis

E pensar que andei a semana passada no metro do Porto!!!

Bonitos postes...

 
Às 20/5/06 15:12 , Blogger lena disse...

que te posso dizer Poeta

Luís fico a ler-te e encantada com o que escreves

este poema do metro do Porto está muito bem conseguido

fico feliz por saber que estás a dar um passo importante,
pudesse eu sair de casa que iria sentir mais perto de mim a tua bela poesia

um abraço meu e beijinhos muitos, meu querido Poeta e amigo

lena

 
Às 20/5/06 19:14 , Blogger GNM disse...

Luís,

Sei que estás longe de Lisboa,
mas deixei-te um convite
no EXTRANUMERÁRIO.
Gostaria que aceitasses!

Fica bem!

 
Às 20/5/06 20:38 , Blogger amigona avó e a neta princesa disse...

Passei para deixar saudades e ... gostei!

 
Às 20/5/06 22:27 , Blogger menina graça disse...

As máscaras da vida de todos os dias. Belo poema. beijos

 
Às 21/5/06 16:07 , Blogger Dad disse...

Felicidades para as várias apresentações. Desejos de êxito MUITO GRANDE!!!

O metro pode esperar...as enchentes nunca páram...

Beijinho,

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial