18 janeiro 2007

Luís Monteiro da Cunha

Bailando suspensa


Foto de arquivo: Lmc/2007



Bailando suspensa


Não importa o corpo que te veste
Apenas precisas saber, reconhecer que és
alma de bailarina em cipreste, suspensa
nos ramos de vida, contida, neste sopé,
suposta, do que deseja ser.

Onde a formosura, senão dos olhos.
Onde exista já, a tradução
podes ser aromeira ou arminho.
Pedra lisa, abrolhos, de sonhos
apertadinhos, na fabulação.

Se contemplam,
existes.
Dependes
da imaginação.


© Luís Monteiro da Cunha

Reparem bem na foto!
O que vêem?
Simples ramos, ou algo mais...


Bom fim de semana

Etiquetas:

15 Comentários:

Às 18/1/07 16:23 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Esta foto não tem ainda 24 horas...

Por vezes, quando menos esperamos, acontece... poesia.
E não precisa de palavras, apenas uma imagem, um contexto, algo que nos faça sonhar acordados, e... sim, é poesia, se ficamos absortos, suspensos da imaginação!

Obrigado pelas visitas e comentários a este ingrato (eu sei...) lol

Abraços e bjinhos
Luís

 
Às 18/1/07 18:03 , Blogger lena disse...

bela a foto Luís,

vejo uma mulher a bailar,
tem os braços abertos como se quisesse abraçar o mundo,

mas isso sou eu que sonho muito...

encantas com a tua poesia e também eu sei bailar dentro de cada verso teu

existe a imaginação
existe o tempo nos sonhos
existe a alma que veste o corpo
existes tu, dás vida às palavras

abraço-te sempre com muita ternura, meu amigo poeta

beijinhos

lena

 
Às 18/1/07 23:46 , Blogger Kalinka disse...

Dei por mim a pensar que já ri com vontade, já nadei até perder o fôlego, já chorei até adormecer e acordei com o rosto cheio de marcas que tentei disfarçar; já falei sozinha com o espelho, que já quis ser médica, escritora, actriz ou pintora.
Dei por mim a pensar que já fui criança que joguei às escondidas, inventei amigos, já andei à chuva e senti-me livre. Já estive até altas horas da noite a fazer confissões aos meus amigos ou a ouvir as deles.
Dei por mim a pensar que já rimos e chorámos juntas… dei por mim a pensar que já confundi sentimentos e segui talvez pelo atalho mais complicado e nele caminhei pelo desconhecido…já chorei a ouvir músicas, já tentei esquecer pessoas mas conclui que essas são as mais difíceis de esquecer...

Bom fim de semana.
Beijo.

 
Às 19/1/07 01:26 , Blogger Dulce Dias disse...

Olá Luís!

Que belo que está o Bufagato e que prazer foi ver-te pelo Esquissos.

O meu Natal foi agradável, cá por terras do Asterix, com foie gras e champagne mas sem bacalhau nem filhós... Enfim!!!

Olha, aparece quando quiseres que eu - que voltei à vida blogguista - também vou voltar a visitar-te regularmente, para ver as tuas bailarinas.

Ciberabraço

DD

 
Às 19/1/07 11:09 , Blogger S disse...

Eu vejo uma mulher observada de baixo, erguendo os braços.
Vejo a beleza da árvore também e a perspicácia do fotógrafo.
Beijo grande amigo Luis,
S

 
Às 21/1/07 18:10 , Blogger Mafalda Freire disse...

Continuas com os belos poemas.. quem me dera ter esse talento..

Beijinhos, Bom Ano!! **

www.confissoesdeumasurda.blogs.sapo.pt

 
Às 22/1/07 17:00 , Blogger Unknown disse...

Olá Luís

Vejo uma Mulher com duas cabeças e de braços abertos ao mundo. Sempre a Mulher. Sempre tu e a contemplação, a adoração à Mulher.

beijinho grande

 
Às 22/1/07 23:42 , Blogger margusta disse...

Olá Luís,

"Não importa o corpo que te veste
Apenas precisas saber, reconhecer que és
alma ... suspensa
nos ramos de vida..."

E assim somos...almas suspensas nos misteriosos ramos da vida...

Gostei muito do poema...quanto á imagem ;) não foi logo á primeira..mas sim depois de algum tempo ..sim ..consigo vê-la...está lá a bailarina!

Parabéns pela bonita foto e pela tua sensibilidade neste belo registo de corpo de mulher...

Beijinhos para ti, e obrigada pelo carinho!

 
Às 23/1/07 02:34 , Blogger Poesia Portuguesa disse...

"...Se contemplam,
existes.
Dependes
da imaginação."


E uma bela imaginação!

Espero que não te importes que tenha levado "emprestado" um poema teu. Algum inconveniente diz, que será de imediato retirado.

Um abraço e boa semana ;)

 
Às 23/1/07 09:41 , Blogger Unknown disse...

Luis tu és fantástico, na tua poesia crias sonhos tão reais...Fantástico meu amigo. Beijinhos

 
Às 23/1/07 12:06 , Blogger Dad disse...

Para além de poeta és um bom fotógrafo!

Gostei de ambas as coisas - poema e foto - e como sou pintora, vi muito mais bailado na foto do que ramos...

Um beijinho para ti,

 
Às 23/1/07 12:49 , Blogger Páginas Soltas disse...

Uma imagem sublime...
Vejo uma mulher em palavras ao vento... :)

Que lindo cantinho vim descobrir através do poesiaportuguesa!

Abraço amigo da
Maria

 
Às 24/1/07 18:22 , Blogger Alves Bento Belisário disse...

Caro Luis

Visito pela primeira vez o teu blog, sendo que foi com muito gosto e prazer que o fiz.

É sempre bom visitar novas imaginações.

Terei todo o gosto em visitares o meu blog, quer com apreciações ou não.

Abraço

http://correntesdepoentropia.blogspot.com

 
Às 5/2/07 18:24 , Blogger Vera Carvalho disse...

Ainda bem que a imaginação existe! É vocábulo, é sonho, é visão, é verdade de um poeta.

 
Às 18/2/07 08:30 , Blogger ... disse...

Caro Luís,
Muito obrigada pela visita "involuntária" ao meu espaço. Sou na verdade uma amante do Mar, das Brumas de Avalon (www.noitedemel.blogs.sapo.pt "DarkMoon"), da fotografia e da poesia ou prosa poética. Gostei do que li por aqui e vou com toda a certeza voltar. Gostei tb das fotografias. Convido-te a ir ao blog que te indico que encontrarás na coluna da direita não só os meus blogs actuais e os antigos, mas o local onde aloja as minhas fotos e música no esnips. Tudo público, caso te agrade poderás usar.

Um bom dia
Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt

PS: Como o teu blog não se aceita de outro modo deixo o meu blog antigo (desativo, porque perdi em tempos a chave e tive de criar outros)...

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial