20 setembro 2006

Luís Monteiro da Cunha

Lealdade a si próprio

foto: Bufagato/2006


De vez em quando, (e só de vez em quando) encontram-se pérolas.
Um dia destes, quando folheava o jornal diário, deparo-me com a seguinte citação:


É uma perfeição absoluta, dir-se-ia divina, sabermos desfrutar lealmente do nosso ser

Michel de Montaigue (1533-1592)
ensaísta francês

Conseguiu fazer-me pensar ainda hoje.
Quando reparo na sequência de simples palavras, que no entanto, são tão fortes e abrangentes, atingindo o âmago de todos aqueles que atentem nas mesmas.

Quem de nós, simples mortais, atenta na simples lealdade para com o nosso ser?
E quantos de nós se podem orgulhar de conseguirem desfrutar da nossa essência humana na sua plenitude?
Quantas vezes não traímos as nossas próprias convicções, por omissão ou covardia?

Uma simples frase que encerra em si, na minha modesta opinião, o paradoxo abismal da sintaxe relativa ao conceito que deveria reger cada um dos nossos princípios, conhecimentos e até quiçá, modo de escutar e desfrutar a vida.

Feliz daquele que, pelo menos tente, lembrar-se desta pequena frase e consequentemente, consiga desfrutar lealmente de si próprio.

Utopia?
Talvez. Somos tão fracos.

11 Comentários:

Às 20/9/06 12:24 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Sejamos minimamente felizes
sendo coerentes entre nós e
os nossos ideais.

Boa semana

 
Às 20/9/06 12:40 , Blogger Cristina disse...

Olá Luis,
Vou estar ausente durante 1-2 semanas por razões profissionais, e venho aqui deixar-te um beijinhu.
Até ao meu regresso
:)

 
Às 20/9/06 15:33 , Blogger margusta disse...

Olá meu amigo Luis,
...esta é sem duvida uma bela citação a ter em conta porque nos faz pensar ...

Tantas e tantas vezes não desfrutamos do nosso ser...

Gostei muito de te sentir na interpretação da mesma!

Beijinhos para ti e um bom resto de semana.

 
Às 22/9/06 18:50 , Anonymous Anónimo disse...

Eu diria que está tudo dito. Sejamos felizes, pois há quem diga que esta vida são dois dias, por isso...faz uma directa :):)

 
Às 22/9/06 23:25 , Blogger Pink disse...

Talvez seja utopia mas eu gosto desta utopia! Concordo com ela!

Gostar de si próprio e ser leal a si próprio deverá ser o mote da nossa vida.

Um beijo e bom fim de semana

 
Às 23/9/06 02:29 , Blogger a d´almeida nunes disse...

"Quantas vezes não traímos as nossas próprias convicções, por omissão ou covardia?"

Concordo, Luís!
O Homem é um ser iminentemente covarde, pela sua própria Natureza!
Será que poderemos nós, humanos, suplantar a Natureza que nos gerou?

Uma boa luta com nós próprios talvez ajude, mesmo que saiamos desse combate arrasados, sofridos, quase derrotados. Mas nunca deitando as luvas ao chão?!
Um grande abraço...

 
Às 23/9/06 20:06 , Blogger arte disse...

Citação que requer uma reflexão apurada.Também considero uma utopia, não só pelo valor a que lhe está associada e também porque o ser humano é um ser eminentememte egoista.Quantas vezes traímos nossas convicções só por comodismo! Quantas vezes não somos desleais connosco? Quantas vezes nos humilhamos perante o nosso ser só por prazer e gozo.Um abraço Luis e bom fim de semana.

 
Às 23/9/06 20:07 , Blogger Arte por um Canudo 2 (No Sapo) disse...

Corrijo o endereço atrás.É o Agostinho

 
Às 24/9/06 21:03 , Blogger Cláudia disse...

São pequenas reflexões como essa que nos fazem parar para pensar, um minuto, dois, não importa, o que interessa é que através dos nossos olhos perscrutem aquilo que está escrito e seja transmitido à nossa alma, ao nosso ego e seja interpretada para a nossa vida. Abençoados aqueles que o consigam. Simplesmente lindo!

 
Às 25/9/06 01:43 , Blogger Kalinka disse...

OLÁ LUÍS

Andamos por caminhos diferentes, mas hoje vim cá ter.
Concordo que devemos ser coerentes entre nós e os nossos ideais.

É verdade, que por vezes deparamo-nos com citações muito belas que nos fazem pensar e, ainda bem.
Uma sequência de simples palavras tão fortes e abrangentes...

Tenho tentado ultimamente desfrutar da minha essência humana na sua plenitude...e, no que depender de mim sempre assim será.
Por vezes não depende só de nós e aí, torna-se mais complicado.

Não acho uma utopia.
Beijos ternos.

 
Às 1/10/06 17:30 , Blogger Mário Lima disse...

É isso que procuro fazer, estar de bem comigo mesmo é estar de bem com o mundo, mas o mundo nem sempre merece pessoas assim.

:)

Tudo de bom ó fugitivo.

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial