21 novembro 2007

Luís Monteiro da Cunha

Inconsciente

foto de lmc/2007


São esses instantes, amordaçados
no papel brilhante de sorrisos
que semeiam no corpo, o
fruto do nosso amanhã

Procura-se o passado
a firmeza do chão
um dia fecundo
o sonho adiado
que um dia, de ilusão,
coloriu de mundo
o nosso peito inflado,
acreditando no coração
(de um modo desajeitado)

O poço é profundo
sempre saciará
o sono do futuro
advirá do sonho
melhor mundo?


Luís Monteiro da Cunha



Etiquetas: , , , ,

3 Comentários:

Às 21/11/07 20:03 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Um enorme abraço
sabe sempre bem

boa semana

luis

 
Às 25/11/07 21:41 , Blogger lena disse...

meu querido poeta e amigo Luís

São estes teus instantes que me deliciam


o sonho que se vai adiando, até quando?

acho que já não sonho...

um abraço amigo, onde mora o meu carinho

beijinhos para ti querido poeta

lena

 
Às 26/11/07 09:09 , Blogger Unknown disse...

Caro Luís

Como escreveu António Gedeão (cito de memória): "enquanto o homem sonha o mundo pula e avança como bola colorida entre as mãos de uma criança".
Melhor resposta do que esta não conheço
Parabéns por este belo poema
Um abraço

Xavier Zarco

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial