20 agosto 2005

Luís Monteiro da Cunha

A Espada Mágica

Para a Mafalda, com carinho.

A ESPADA MÁGICA

Existe uma história muito, muito antiga, do tempo dos cavaleiros em brilhantes armaduras, sobre um jovem comum que estava com muito medo de testar sua habilidade com as armas, no torneio local.
Certo dia, seus amigos quiseram pregar-lhe uma partida e lhe deram de presente uma espada, dizendo que tinha um poder mágico muito antigo. O homem que a empunhasse jamais seria derrotado em combate.
Para surpresa deles, o jovem correu para o torneio e pôs em uso o presente, ganhando todos os combates. Ninguém jamais vira tanta velocidade e ousadia na espada. A cada torneio, a notícia de sua mestria se espalhava, e não tardou a ser ovacionado como o primeiro cavaleiro do reino.
Por fim, achando que não faria mal nenhum, um dos seus amigos revelou a brincadeira, confessando que o instrumento não tinha nada de mágico, era só uma espada comum.
Imediatamente o jovem cavaleiro foi dominado pelo terror.
De pé na extremidade da área de combate, as pernas tremeram, a respiração ficou presa na garganta e os dedos perderam a força.
Incapaz de continuar acreditando na espada, ele já não acreditava mais em si mesmo.
E nunca mais competiu.


Reflexão:Será que precisamos de "mágica" em nossa vida ou temos consciência de nosso valor e de nosso potencial?

Quantos de nós não precisou já de amuletos na sua vida, acreditando que estes por si só resolviam os problemas, que nos pareciam irresolúveis e que acabamos por resolver por nós mesmos?

Esta lenda foi-me cedida graciosamente por Ângela Monforte (Angelis) e encontra-se publicada no seu Pé de Vento, um cantinho muito bonito com posts espectaculares.
Aconselho a visita com muita calma e disponibilidade, tantos os temas a explorar.
Obrigado Ângela.



12 Comentários:

Às 20/8/05 23:52 , Anonymous Anónimo disse...

Há momentos em nossas vidas em que duvidamos de nós próprios...Um bom fim de semana para ti e tudo de bom. Beijinhos

 
Às 21/8/05 00:01 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Olá Delta querida...

Penso que ninguém é imune a este tema.
Todos temos os nossos altos e baixos. E quando estamos em baixo agarramos qualquer muleta que nos salve.

Bom fim de semana.

Bjinhos fofos

 
Às 21/8/05 01:12 , Blogger V disse...

Obrigada pela história,
um belo lembrete. Estou precisando acreditar mais em mim, nos meus sonhos.
Bjos doces

 
Às 21/8/05 11:49 , Anonymous Anónimo disse...

Olá
Não tens que agradecer, ter cedido a Lenda...eu é que tenho que agradecer as palavras de elogio ao meu cantinho.Obrigada pela gentileza e pela visita.
Voltarei aqui mais vezes, para te ler.
Votos de um excelente domingo

 
Às 21/8/05 15:30 , Anonymous Anónimo disse...

Voltei de novo...:-) Esqueci-me de dizer que estou a adorar a tua música de fundo:-) Quando puderes vais até às "minhas". Andei a alterar algumas coisas. :-)

 
Às 21/8/05 23:40 , Blogger um estranho disse...

Quando eu penso que já não me vais surpreender chego aqui e ...

Duvidamos muito das nossas capacidades não é? E na maioria das vezes voltamos a acreditar nelas quando alguma coisa nos poe à prova ...

Nesse momento não precisamos de nada, sai uma força imensa cá de dentro e ai de alguem que nos atravesse no caminho. Estou a falar por exemplo, do que somos capazes de fazer por amor a um filho.

Admiro-te!

 
Às 21/8/05 23:48 , Anonymous Anónimo disse...

Acreditarmos em nós é muito importante para valorizarmos tudo o que temos à nossa volta pois acreditamos que se temos é porque queremos e se queremos é porque gostamos e se gostamos...é porque merecemos e porque acreditámos. CHUAC!

 
Às 22/8/05 17:20 , Blogger um estranho disse...

Olha deixei-te um desafio, vamos lá ver se aceitas :-)

Onde andas hoje?

 
Às 22/8/05 23:48 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Vivis...

Quem não precisa de vez em quando de um incentivo, um gesto ou palavra amiga?

Principalmente de pessoas desinteressadas, que podiam muito bem passar sem nada dizer, mas no entanto, um simples comentário num blog, alerta ou incentiva quem o lê, e demonstra que não está sozinho, tem um companheiro(a) embora virtual, a seu lado que compreende e valoriza.

Bjinho

 
Às 22/8/05 23:51 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Delta...

Já "vi" as novidades.

Não sei se elogie, se proteste!

Se elogie, porque está bonito.
Se proteste, porque aquele ondular fazía-me sentir que flutuava na página, enlevado pela musica de fundo ou pela musica que escolhia ouvir.

De qualquer maneira os meus sinceros parabéns.

A estética está bonita e bem realizada, como seria de esperar de alguém com o seu bom gosto. :-)

Bjinho

 
Às 23/8/05 00:02 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Castor..

Sim é verdade.

Apenas falta nesse raciocínio acrescentar...
(...)é porque merecemos(...) se merecemos é porque acreditaram em nós e porque nós acreditámos e não perdemos a confiança.

Obrigado pela citação, é sempre um prazer receber o seu comentário.

Abraço

 
Às 23/8/05 00:14 , Blogger Luís Monteiro da Cunha disse...

Alex...

Lisonjeias-me.
Não sou digno da admiração de ninguém. Não passo de poeira cósmica num mar de turbilhões, onde me deixo navegar ao sabor de ventos e marés, tentando fugir ou ultrapassar os escolhos da vida.


Quem precisa de inimigos, com amigos como estes que nos encostam á parede e nos pôem assim á prova? :-)

Chiça, nã podiam ser perguntas mais fáceis, tipo: Qual foi o teu almoço? Ou qual a cor da roupa que usas hoje? lol

Bjinho

 

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial